Relato da experiência de uma mentora do CDJ da Liberdade sobre o seu primeiro dia de trabalho com as Nyeletis (Adolescentes a frequentar a 7ª classe) em 2019

 

 

Falar sobre o primeiro dia de trabalho é falar de expectativa, nervosismo e diversão. Ao chegar lá nos deparamos com poucas meninas…
“Será mesmo que elas vem? Mas na escola pareciam mesmo entusiasmadas com o projecto, dissemos”. Mas pelos vistos, nos engamos. Elas vieram e em massa, e quanta alegria. Apesar da alegria o desafio também. Pois, no primeiro dia foram mais de 50 meninas. E ali, não eram apenas 50 meninas, eram 50 famílias, 50 vidas. E ali começávamos a ser Manas, a ser Mentoras. Passávamos da teoria a prática. A teoria tão maravilhosa e a prática tão real.
Na vida real é tudo diferente. As meninas existem, os pais existem e também nós existimos e estamos aqui, somos manas das nossas Nyeletis. E elas confiam em nós e vê em nós exemplo. Como foi belo e inspirador saber que conseguimos trazê-las, como foi belo o nosso primeiro dia.


Marcela Mabunda

Frequentou o Programa Descobre em 2019 e integra em 2020 o programa Lidera do CDJ Moçambique. Estes dois programas trabalham competências para preparar as jovens para a liderança pelo serviço à comunidade. No Inicio de 2020 a Marcela, juntamente com mais 15 jovens, foi convidada a assumir-se como mentoras de adolescentes que frequentam a 7ª classe. O trabalho de voluntariado que fazem faz parte da sua formação e cria condições para a implementação do programa Acredita.